BOM SABER

Laxante ou supositório, qual o mais indicado?

Laxante ou supositório, qual o mais indicado?

Se você sofre – ou já sofreu – com prisão de ventre, certamente já se perguntou: Qual devo usar: laxante ou supositório?

Para realizar a escolha do melhor método para a constipação intestinal, antes é preciso entender qual a diferença entre os métodos e qual a indicação para cada um deles.

Antes de falar sobre os tipos de laxante e suas formas de atuação, é importante lembrar que nem todos devem ser usados de maneira livre. Isso porque o uso prolongado e desregrado pode prejudicar nosso organismo. Os laxantes irritativos são um exemplo disso, já que agem irritando o intestino, que por sua vez se contrai e expulsa as fezes. Seu uso prolongado pode acarretar o desenvolvimento de um quadro chamado cólon catártico, que é quando o intestino se torna dependente do estímulo dos laxantes para funcionar.

Sendo assim, primeiro, vamos falar do laxante osmótico. Ele age no intestino puxando o líquido, melhorando a consistência das fezes e melhorando o trânsito intestinal. Essa melhora acontece já que ele distende o intestino, o que faz com que as fezes cheguem no reto com mais rapidez.

Outra indicação para prisão de ventre é o laxante estimulante, que estimulam a contração intestinal e devem ser usados somente com indicação médica. Como podemos ver, os laxantes fazem com que as fezes cheguem no reto de maneira mais rápida e com uma consistência melhor, mas, e os supositórios?

O supositório é uma via de aplicação de medicação. Geralmente, é um comprimido que é introduzido através do ânus para atuar no reto, podendo ser usado, para a aplicação de anti-inflamatórios ou remédios para constipação intestinal, por exemplo. Ele pode ser absorvido ou atuar na mucosa da região. A aplicação pelo reto é indicada já que a circulação de sangue na região é diferente da circulação em nosso aparelho digestivo e, muitas vezes, o que é absorvido ali pode não passar para o fígado, evitando que grande parte da medicação seja metabolizada por ele.

Laxante ou supositório, qual usar?
Quando já existem fezes formadas e endurecidas no reto, o uso do laxante não é indicado, já que ele iria estimular a formação de novas fezes que, ao chegarem no reto, empurrariam as fezes já endurecias. Neste processo, a saída das fezes duras poderia resultar em feridas na região, o que poderia causar uma fissura anal ou uma crise de hemorroidas, por exemplo. Portanto, o mais indicado, nesse caso, é o uso dos supositórios, já que ele vai ajudar a amolecer as fezes que já estão formadas.

Já para a pessoa que tem um trânsito intestinal mais lento e que as fezes, em geral, são mais ressecadas, o laxante é a orientação mais comum. Dessa forma, ele faz com que as fezes cheguem ao reto com uma consistência mais adequada e com uma frequência melhor.

Apesar de termos todas essas opções para melhorar o quadro de prisão de ventre ou constipação intestinal, o ideal para ter uma rotina intestinal saudável é cuidar do hábito intestinal. Portanto, é importante sempre manter a ingestão de água e fibras, além de preferir alimentos naturais ao invés dos ultra processados. Além disso, ter uma rotina saudável, com boas noites de sono, caminhadas regulares e controle do estresse também ajuda na saúde do intestino.
Portanto, busque utilizar um laxante ou supositório somente em situações específicas e sob orientação médica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá, podemos te ajudar?